História do Camaro em Quatro Gerações

News - 25 de maio de 2016

1967 Chevrolet-Camaro-SS-Convertible-Indy-500-Pace-Car

O Camaro foi desenvolvido pela General Motors sob a marca Chevrolet e lançado no mercado Norte Americano em 1966 para concorrer diretamente com o Ford Mustang, na categoria dos carros potentes. Seu lançamento obteve tanto êxito, que já em 1967 foi escolhido como carro de segurança das 500 milhas de Indianápolis.

1967 Camaro cupe

Em 1964 a Ford havia criado o Mustang para competir com o Corvair da Chevrolet e conquistado enorme sucesso (o Corvair, apesar de apresentar um novo conceito em carro, não conseguiu crescimento nas vendas). Então a GM percebeu que precisaria agir rápido para superar as vendas da Ford e nomeou seu diretor do Centro de Design, Henry C. Haga, como responsável por criar um carro que combatesse a concorrência. Henry chamou a equipe responsável pelo projeto do Corvair, do Chevy II e do Corvette para auxiliá-lo.

1967 yenko-camaro-rear

A GM entrou em uma corrida contra o tempo! Precisava conseguir colocar o novo carro nas ruas o mais rápido e gastando o mínimo possível. Assim, decidiu deixar de lado os protótipos que incluíam, além do cupê e conversível, um modelo de dois lugares, outro modelo fastback e também uma perua. A solução era oferecer diversas configurações de acabamentos, disponibilizando os motores 6 cilindros em linha 230 cu in (3.8 L),  V8 327. Além disso, lançaria os motores 350 (5.7 L) com 295 hp e 396 cu in (6.5 L) (SS396)

 

A decisão pelo nome também foi outra questão importante (e polêmica) na criação desse carro. Foram avaliadas diversas opções antes da escolha final. Os nomes cogitados inicialmente foram Nova, Chaparral e Wildcat. Depois pensaram em Gemini, que fazia referência à General Motors, mas temeram atrelar o nome do carro à marca, visto que existia uma possibilidade do projeto não dar certo e comprometer a imagem da GM. Então surgiu Camaro, que agradava a todos. Há controvérsias, porém, quanto ao seu significado. Alguns dizem que se trata de uma palavra antiga encontrada no dicionário francês que significa “amigo” ou “companheiro”. Outros afirmam que esta palavra é uma corruptela do nome de um pequeno camarão em espanhol. O fato é que essa opção foi considerada excelente porque soava bem e provocava o interesse das pessoas pelo carro.

Finished photos by Matthew Litwin. Restoration photos provided by Christopher Tucker.

Então, em 26 de Setembro de 1966 o Camaro foi lançado nas versões cupê e conversível. Sua entrada foi triunfal no mercado norte-americano, tendo 220.906 unidades vendidas no primeiro ano de lançamento e chegando a um total de 699.138 carros vendidos nos três primeiros anos de existência. Por ser um carro compacto para os padrões da época, foi popularizado como um pony car (carro esportivo compacto com preço acessível). Posteriormente também conquistou o título de muscle car (veículo possante e de grande porte), por disponibilizar versões mais compridas e se encaixar no patamar dos modelos esportivos intermediários.

Shepard Kids

Foram quatro gerações de lançamentos, cada qual com a sua peculiaridade, que sacudiram o mercado norte-americano, conquistaram os amantes dos carros clássicos esportivos e fizeram história no mundo do automobilismo.

Primeira Geração do Camaro – 1967 a 1969

1969 Camaro SS

A primeira geração do Camaro foi marcada por sua explosão no mercado norte-americano ao superar o lançamento do Ford Mustang, seu concorrente direto. Disponível nas versões cupê duas portas (2 + 2 lugares) e conversível, destacou-se pelas opções de motores: V6 3,8 litros de 140 cv de potência bruta, V8 5,35 litros com configurações de 210 e 275 cv para maior potência e o clássico V8 5,75 litros que poderia ter 255 ou 295 cv.

Foram criadas muitas variações do modelo, sendo possível ter 80 Camaros diferentes e acrescentar por volta de 40 acessórios. A versão SS (Super Sport), por exemplo, tinha motores menos potentes que outros modelos da linha, mas chamava a atenção por seu acabamento especial com faixas decorativas, capô exclusivo, suspensão mais firme, rodas e pneus mais largos.

Na segunda fase da primeira geração foi lançado aquele que hoje é o mais raro dos Camaros, o Z28 1969. O que o torna tão especial é o fato dessa carroceria só ter sido disponibilizada por um ano, visto que em 1970 começaria a segunda geração. Futuramente esse modelo de 1969 serviu de inspiração para a quinta geração do Camaro.

DSC09333

Segunda Geração do Camaro – 1970 a 1981

1970-camaro-ss

Em sua segunda geração, o Camaro passou por alterações estéticas, mantendo sua identidade, mas tendo as dimensões aumentadas. Adquiriu equipamentos de série e as versões RS (motor 6 em linha 250 de 155 cv), SS (motor V8 350 de 255 ou 300 cv) e Z28 (motor 350 de 360 cv).

O início dessa geração foi marcado por uma nova disputa com a concorrência. A GM descobriu que a Ford estava com planos para reestilizar o Mustang para 1970. Assim, a Chevrolet desenhou o Z28 “Shark- Nose” (boca de tubarão).

Durante a década de 70, em virtude da guerra do Vietnã e do aumento excessivo do petróleo, os consumidores passaram a dar preferência a carros econômicos, resultando em queda nas vendas do Camaro. Ao mesmo tempo, o governo estabeleceu novas normas contra a poluição que coibiram a produção dos motores V8 e, consequentemente, os modelos SS. Então, para atender às novas exigências do mercado, foi lançado, em 1973, o Camaro LT (motor 6 em linha).

Em 1974 o LT passou por mudanças e ganhou um pacote de acessórios chamado de Rally Sport, tornando-o mais acessível ao consumidor. As vendas voltaram a crescer, chegando a registrar 200 mil carros vendidos em 1977 e 2 milhões produzidos em 1978.

Terceira Geração do Camaro – 1982 a 1992

O Camaro apresentado em Janeiro de 1982, Sport Cupê, tinha um visual futurista para a época, era menor, mais leve e havia sido desenhado com linhas mais retas que as da segunda geração. Tinha duas opções de motor: o de 6 cilindros e o V8 de 215 cv, que estava voltando ao mercado, com câmbio manual de cinco marchas ou automático de quatro. Neste ano o Camaro obteve grande sucesso de vendas e foi eleito o carro do ano pela revista Motor Trend.

Em 1985 foi lançada a versão IROC-Z com novo conjunto de suspensão, barras estabilizadoras mais resistentes, rodas de 16 polegadas com pneus 245/50VR16, entre outros detalhes característicos de carro de corrida. Ainda nesta primeira fase da terceira geração, o mercado conheceu o Camaro com injeção eletrônica.

Nos anos que se seguiram, o Camaro entrou no grupo dos esportivos mais rápidos do mundo, continuou se desenvolvendo e chegou ao ápice dessa geração, em 1992, com o lançamento da edição de aniversário (a Heritage Edition), que comemorava 25 anos do carro. Foi criado o emblema 25 TH Anniversary, que foi afixado no painel de instrumentos de todos os carros fabricados neste ano.

Quarta Geração do Camaro – 1993 a 2002

O lançamento da quarta geração do Camaro, em 1993, seguiu o padrão cupê de quatro lugares (2+2), motor dianteiro e tração traseira, mas com duas opções de motor V6 e três de V8.

Em 1994 foi disponibilizada a versão conversível da geração anterior. Em 1997 e 1998 os veículos foram completamente remodelados no exterior, como nos faróis e na parte dianteira, e em seu interior.

Depois de tantos anos de sucesso, o Camaro começou a decair em vendas, pois o consumidor norte-americano já não tinha o mesmo perfil de antes. Então, para não desgastar a imagem do modelo, a marca decidiu encerrar a produção, em 2002, fechando o ciclo das quatro gerações.

Este, porém não foi o final definitivo de sua produção. Em 2006 a Chevrolet apresentou no Auto Show o Camaro Concept, modelo desenhado pelo sul-coreano Lee Sangyup, baseado na plataforma Zeta GM. Era o renascimento desse ícone de esportividade, que voltou a ser produzido oficialmente em 2009, abrindo as portas de sua quinta geração e balançando novamente o coração dos amantes de carros.

Murillo Cerchiari

Hoje trabalho com o que eu mais gosto e me dedico inteiramente a realizar sonhos desses apaixonados por carros clássicos.

Receba carros antigos e novidades no seu email.